A NOMENCLATURA DAS RUAS DE NOVA FRIBURGO

19/11/2020 18:14:40
Compartilhar
Praça Dermeval Barbosa Moreira em 1874. Foto: Baú de História e Memória (Facebook)

Façamos de conta que alguns veranistas – turistas que passavam o verão, em Nova Friburgo, nas décadas de 1940/50 – depois de ausentes, por muitos anos, estejam dispostos a voltar à nossa cidade.

É bem provável que ficarão perdidos, devido à mudança dos nomes das ruas. Então, com muita hospitalidade, sejamos guias solícitos, ajudando-os a encontrá-las. Estamos em condições de fazê-lo?

Rua Riachuelo (Francisco Miele); Rua General Câmara (Augusto Spinelli); Rua Conde d‘Eu ,Três de Janeiro (Rua Monsenhor Miranda); Rua Visconde de Bom Retiro (Moisés Amélio); Rua Oito de Janeiro (Padre Roberto Sabóia de Medreiros); Rua Três de Outubro (Oliveira Botelho); Rua Jacome, Treze de Maio, Vianna do Castelo, da Campesina (Fernando Bizzotto); Praça Central,  Princesa Isabel, XV de Novembro (Getúlio Vargas – partir de 1954); Rua São João (Monsenhor José Antônio Teixeira); Rua São Clemente (Conselheiro Julius Arp);  Rua Visconde de Itaboraí (Monte Líbano); Rua Governador Portela (Prefeito José Eugênio Muller); Rua Dona Umbelina (Augusto Cardoso); Rua Silva Jardim (Dr. Euclides Solon de Pontes, chamada, popularmente, de Rua do Estadual); Vila Quaresma (Rua Nossa Senhora de Fátima); Avenida Rui Barbosa (Dr. Galdino do Valle Filho); Praça do Pelourinho, Praça Paissandu (Marcílio Dias); Av. Santos Dumont (Euterpe Friburguense); Rua Uruguaiana (Pastor Meyer); Rua Dezesseis de Maio (Engenheiro Ariosto Bento de Mello); Morro do Balga (Rua Augusto Severo); Rua Andrade Neves (Rua Luís Spinelli).

Alguns têm conhecimento de que a Avenida a Alberto Braune (a partir de 1929), se chamava General Argolo, mas poucos sabem que, de início, foi Rua do Senado.

A nossa principal praça, até por volta dos últimos anos da década de 1960, de uma extremidade à outra, tinha um só nome. Depois, a parte arborizada de eucaliptos permaneceu Getúlio Vargas, e a que fica diante da Catedral de São João Batista, passou a ser chamada de João VI e, depois, Dr. Demerval Barbosa Moreira.

No entanto, há denominações atuais de ruas, com as quais os friburguenses não se familiarizam: José Tessarollo dos Santos, Padre Roberto Sabóia de Medeiros e Comandante Ribeiro de Barros. Eles só se recordam da nomenclatura antiga, respectivamente, Rua da Baronesa, Rua Oito de Janeiro, Rua do Arco e ainda a Rua São João.

Avenida Alberto Braune na década de 40 – Foto: Baú de História e Memória (Facebook)

Singular é a existência da Rua Gonçalves Dias, que nunca teve o seu nome trocado, mas sempre foi conhecida pelo seu apelido: “Beco da Oficina” ou “Beco da Sofia”.

Há os que só identificam a Rua Dr. Ernesto Brasílio, por “Rua do antigo Fórum” e a Rua Dante Laginestra, antiga General Pedra, por “Rua do Campo do Friburgo”.

Existem locais, cuja nomenclatura foi esquecida, totalmente: Os Morros do Nicote e da Canjica e o Caminho do Reservatório (Caixa d´Água), no Perissê; Lajedo, no Cônego; Morro dos Cabritos (corruptela do nome próprio Oscar Brito) na altura da Rua Acre, em Olaria; Dois Barrancos, no final da Rua Mac-Niven, início do Bairro Ypu (lado esquerdo) e do lado oposto, a Vila Centenário.

Há alguns anos, o bairro de Olaria era chamado de Olaria do Cônego, enquanto o Cônego era antecedido da palavra Fazenda.

Preocupante é constatar que Córrego D’Antas (mamíferos da família das tapiras) está sendo escrito, erroneamente, Córrego Dantas, como um sobrenome (nome de família).

Diante da realidade exposta é bem provável que, em décadas futuras, muitas das ruas citadas tenham seus nomes substituídos.

QUEM VIVER, VERÁ!

Praça XV de Novembro (Praça Getúlio Vargas) década de 10 – Foto: Baú de História e Memória (Facebook)
Compartilhar