Friburgo: Prefeito e mais três vereadores podem trocar PSD pelo PMDB

15/03/2016 12:44:39
Compartilhar
Janela para troca partidária pode provocar mudanças em Friburgo

A provável debandada de deputados federais e estaduais do PSD para o PMDB no Rio de Janeiro, prevista para acontecer até sexta-feira, 18, poderá ter reflexos políticos diretos em Nova Friburgo, numa espécie de efeito cascata.

O prefeito Rogério Cabral e os vereadores Márcio Damazio (presidente da Câmara), Joelson do Pote (o mais votado em 2012) e Gustavo Barroso, todos eleitos pelo PSD, também poderão mudar de partido, ainda este mês, dentro da janela aberta pela Lei Eleitoral que permite a troca de partido, sem risco da perda de mandato.

Os quatro políticos friburguenses estão em conversas com suas lideranças no Rio de Janeiro para acompanhá-los na troca partidária.

Na quarta-feira, 9, Rogério Cabral e Márcio Damazio estiveram com o deputado estadual licenciado e atual secretário estadual de Meio Ambiente, André Corrêa, tratando da questão. Em seguida, eles foram recebidos pelo presidente da Assembleia Legislativa e do PMDB estadual, Jorge Picciani. O resultado do encontro não foi divulgado, mas o prefeito admitiu que pretende acompanhar André Corrêa.

O vereador Joelson do Pote disse nesta terça-feira, 15, estar em contato permanente com o deputado licenciado e secretário de Agricultura, Christino Áureo. Joelson disse que aguarda apenas o desfecho das negociações no Rio para anunciar a saída do PSD e o provável ingresso no PMDB.
O vereador Gustavo Barroso deve seguir partidariamente o deputado estadual e apresentador de televisão Wagner Montes.

PMDB FRIBURGO – O presidente do diretório peemedebista friburguense, Roberto Louzada, disse que está aguardando o desenrolar dos fatos e que confia na palavra do presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani, que, em 2015, gravou e postou um vídeo na página do partido anunciando o nome da vice-prefeita Grace Arruda como pré-candidata a prefeito de Nova Friburgo. “Pelo que me consta, Picciani sempre teve uma única palavra”, destacou.

Com relação às eventuais filiações dos políticos citados acima, Louzada disse que até 23 de outubro de 2017 é o presidente legitimamente eleito pelo PMDB. “Toda a qualquer filiação partidária no município, conforme prevê o estatuto, deve ser submetida ao PMDB local”.

Compartilhar