JUNFRI bate recorde de público, participantes e de jogos em 2015 – I

08/09/2015 16:33:07
Compartilhar
A JUNFRI foi a atração do feriadão na cidade

Terminou na noite desta segunda-feira, 7, a 7ª edição do Junfri, os Jogos Universitários Friburguenses. Considerado o maior evento esportivo universitário da Região Serrana, o Junfri 2015 contou com a participação de 10 universidades, cinco de Nova Friburgo e outras cinco vindas de outros municípios, como Rio de Janeiro, Petrópolis, Macaé e Seropédica.

Ao todo mais de 3 mil pessoas acompanharam os jogos durante os três dias de evento. Os atletas competiram em cinco modalidades: basquete, vôlei, handball, futsal e cabo de guerra. Apenas o atletismo, que seria disputado ao ar livre, teve que ser cancelado devido ao mau tempo do fim de semana.

Feliz com o resultado e a dimensão que o Junfri tomou nas últimas edições, o organizador Fellipe Malhard comemorou o encerramento de um evento que ele considerou histórico: “Só tenho a agradecer às Atléticas participantes, aos torcedores presentes nos ginásios e aos patrocinadores, que tornam esse sonho possível. Este ano batemos recorde de participação, de público e de jogos. Sem dúvida o Junfri 2015 já está marcado na história da Região Serrana e de Nova Friburgo, que carecia de um evento como este, reunindo jovens, muito esporte e entretenimento.”

Só no primeiro dia do Junfri 2015, no sábado, 5, 48 jogos foram disputados simultaneamente em quatro ginásios diferentes (Nova Friburgo Country Clube, Colégio Canadá, Adhemar Combat e Helena Deccache). No domingo, 6, foram outros 28 jogos para definir os finalistas de cada modalidade. Nesta segunda-feira, 7, feriado da Independência, o ginásio Helena Deccache ficou lotado durante todo o dia para acompanhar as decisões. O primeiro jogo aconteceu às 9h e o último terminou por volta das 21h. Foram 12 horas de muito esporte, num clima de festa e rivalidade sadia entre os participantes. No basquete feminino, a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), de Seropédica, levou a melhor sobre as meninas da Universidade Federal Fluminense (UFF) na grande final. No masculino a Estácio Friburgo derrotou a Candido Mendes Friburgo e ficou com a taça. Na decisão do vôlei feminino a Estacio Friburgo venceu a Rural, que por sua vez foi campeã no masculino, derrotando a Uerj. No handball feminino a UFF vendeu a Estácio Friburgo num jogo emocionante e ficou com o título. Já no masculino, a Rural venceu com facilidade a Universidade Católica de Petrópolis (UCP). No cabo de guerra masculino e feminino a decisão ficou entre Rural e UFF. Entre as mulheres deu Rural, já entre os homens a UFF foi quem levou a melhor. As últimas decisões do Junfri 2015 foram as do futsal. Primeiro com as meninas, no duelo entre UFF e Rural, que terminou com vitória da UFF. Já no masculino Estácio Friburgo e Rural fizeram um jogo emocionante que só foi decidido nos pênaltis e terminou com vitória da Rural.

Além de jogos e disputas acirradas, ginásios lotados e muita festa das torcidas, o Junfri 2015 também ficou marcado por um momento de homenagem, que emocionou a todos. A  organização do evento fez questão de lembrar Mariana Cereja, jovem que faleceu no início deste ano após um trágico acidente em Nova Friburgo. Muito ligada ao Junfri, Mariana participou de algumas edições do evento como atleta e até na equipe de organização. Pai, mãe, irmão e familiares mais próximos da jovem receberam das mãos de Fellipe Malhard uma placa em homenagem a Mariana, além de um vídeo, que também foi exibido. E a partir de agora, o troféu de destaque individual do Junfri receberá sempre o nome de Mariana Cereja.

“A Cereja era uma grande amiga, como se fosse uma irmã. A perda dela foi um dos momentos mais difíceis da minha vida. E como ela adorava participar do Junfri e sempre me deu uma grande força em todos os sentidos, pensei que tinha que lembrá-la de alguma forma na edição deste ano. Infelizmente ela não está mais aqui conosco, mas será sempre lembrada pela amizade, pelo bom humor, pelo sorriso que ela exibia por onde passava e, agora, dando nome ao troféu de destaque individual dos Jogos.”

Por Fernando Moreira

Compartilhar