Autora de falas racistas e homofóbicas em igreja, pede desculpas

03/08/2021 07:22:10
Compartilhar
Pregadora publicou nota de retratação

Apontada como a mulher que utilizou frases racistas e homofóbicas em palestra na Igreja Sara Nossa Serra, Karla Cordeiro emitiu “nota de retratação” nas redes sociais (leia íntegra no final da matéria) após a grande repercussão do caso.


A pregadora disse que foi descuidada com as palavras e pediu desculpas. Ela disse que não tem nenhum preconceito contra pessoas de outras raças e nem contra pessoas com orientações sexuais diferentes da dela.


“Fui descuidada na forma que falei e estou aqui pedindo desculpas”, frisou, acrescentando que as palavras utilizadas não expressam a opinião de seu pastor e nem da igreja.


DELEGADO ABRE INQUÉRITO E FARÁ INDICIAMENTO


O delegado titular da 151ª DP (Nova Friburgo), Henrique Pessoa, divulgou nesta segunda-feira, 2/8, que abriu inquérito policial para investigar um vídeo postado nas redes sociais durante o final de semana, onde uma mulher – integrante da Igreja Sara Nossa Terra – fez um discurso com teor claramente “racista e homofóbico” em pregação, destacou o policial. A pregadora será indiciada em processo a ser encaminhado ao Ministério Público.


De tal modo que a pena é de 3 a 5 anos com circunstâncias qualificadoras por ter sido feita em mídias sociais e através da imprensa. Já foi instaurado inquérito policial pelo crime de intolerância racial e homofóbica, de acordo com a recente previsão do STF”, destacou o delegado. “O crime está configurado e ela será indiciada”, acentuou Henrique Pessoa, que irá intimar a acusada para ser ouvida na 151ª DP.


O vídeo publicado pela mulher com falas racistas e homofóbicas era dirigido a fiéis: “É um absurdo pessoas cristãs levantando bandeiras políticas, bandeiras de pessoas pretas, bandeiras de LGBTQIA+, sei lá quantos símbolos tem isso aí. É uma vergonha, desculpa falar, mas chega de mentiras, eu não vou viver mais de mentiras. É uma vergonha. A nossa bandeira é Jeová Nissi. É Jesus Cristo. Ele é a nossa bandeira”, vociferou.


A pregadora ainda acrescentou no referido vídeo: “Para de querer ficar postando coisa de gente preta, de gay, para! Posta palavra de Deus que transforma vidas. Vira crente, se transforma, se converta!”.

Compartilhar