Condenado a 321 anos, Sérgio Cabral completa 4 anos na prisão

03/12/2020 10:23:34
Compartilhar
Sérgio Cabral escreveu carta aos familiares

O ex-governador Sérgio Cabral completou quatro anos atrás das grades. As penas somadas contra ele já somam mais de 320 anos de reclusão e devem ir muito mais longe.
Esta semana, seu filho Marco Antônio Cabral usou as redes sociais para divulgar uma carta do ex-governador aos familiares escrita em meados de novembro.

Sérgio Cabral afirmou na carta que a família se tornou “seu ponto de sustentação” durante os quatros anos em cárcere e reforçou “que não há sentido em mantê-lo em preso preventivamente”.

“Fora, livre, a família sempre foi – vocês sabem disso – o meu eixo principal. Mas, aqui dentro, diante das paredes branca e cinza, das grades de ferro, do som dos cadeados, vocês se transformaram em tudo. Sinônimo do amor, das referências, do bem querer desinteressado e incondicional”, escreveu.

A carta foi escrita de dentro do presídio de Bangu 8, no último dia 17, data em que ele completou quatro anos preso em decorrência de crimes investigados pela Lava Jato. Nela, o ex-governador ainda diz que a luta por seus direitos tem sido incansável e reiterou que não vê sentido em permanecer preso.

“Não sei mais quanto tempo permanecerei aqui. Por justiça e direito de quem colabora nos esclarecimentos de todos os fatos, não há sentido em me manter preso preventivamente. A luta da defesa tem sido incansável. Acredito no nosso direito”, disse.

Em seu Instagram, Marco Antônio Cabral escreveu que a carta virou sua “fonte de força para enfrentar os desafios” e afirmou que pede a Deus para que sua família esteja completa no Natal deste ano.

“Rogo a Deus, para que esse Natal seja diferente, e a nossa família esteja completa de novo. Quando penso em esmorecer, essa carta virou a minha fonte de força para enfrentar os desafios”, publicou.

O ex-governador foi detido após investigações da Operação Calicute, deflagrada pelo Ministério Público Federal (MPF) em parceria com a Polícia Federal, que culminou na prisão de empresários, doleiros e políticos envolvidos em uma rede de corrupção. Na última semana, Cabral foi condenado pela 16ª vez pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Com a sentença de 19 anos e nove meses, sua pena total chega a 321 anos em regime fechado.

Leia a carta na íntegra:

17/11/2020

“Família amada,

Hoje completam quatro anos que fiquei privado do bem maior do ser humano após a saúde, a liberdade.

Anos duros, difíceis. Escreverei, por certo, sobre o meu período preso, assim como minhas experiências na qualidade de homem público, e o que penso das coisas, se interessar à alguém, mais a frente.

Vocês se tornaram o ponto de sustentação nesse período. Fora, livre, a família sempre foi – vocês sabem disso – o meu eixo principal. Mas , aqui dentro, diante das paredes branca e cinza, das grades de ferro, do som dos cadeados, vocês se transfomaram em tudo. Sinônimo do amor, das referências, do bem querer desinteressado e incondicional. Não sei mais quanto tempo permanecerei aqui. Por justiça e direito de quem colabora nos esclarecimentos de todos os fatos, não há sentido em me manter preso preventivamente. A luta da defesa tem sido incansável. Acredito no nosso direito.

Bem, mas o essencial, é que seja qual for o tempo, vocês , minha família, têm sido incansáveis no amor a mim. A força vocês me dão estando bem, se cuidando, vivendo ai fora mesmo com todas as adversidades. Vivendo, convivendo, nutrindo-se de amor, assim me sinto forte.

Hoje, mais cedo, fiz o meu “step” no degrau do banheiro. Diante do branco e do cinza, no cubículo, ja no milésimo passo , suando muito, entra o som de Freddy Mercure : “Somebody To Love” . Completei os 1.400 passos do dia, tomei o banho frio. E escrevo pra vocês. Ouçam “Somebobylove” , fechem os olhos e me abracem.

Amo muito vocés, Sérgio Cabral“

Compartilhar