Ex-governador Sérgio Cabral é condenado de novo e pena acumulada já chega a 281 anos de prisão

30/01/2020 08:30:02
Compartilhar

O ex-governador do Estado do Rio Sérgio Cabral (MDB) e outros cinco réus foram condenados, nesta quarta-feira, 29/1, na Operação Fatura Exposta. A ação é um desdobramento da Lava Jato que revelou desvios de R$ 300 milhões na Saúde, entre 2006 e 2017.

Esta é a 13ª condenação de Sérgio Cabral na Lava Jato. A pena acumulada já chega a 281 anos, 10 meses e 13 dias de prisão.

Foram condenados: Sérgio Cabral (ex-governador), Sérgio Côrtes (ex-secretário de Saúde), Cesar Romero Vianna (ex-subsecretário de Saúde), Miguel Iskin (empresário da Saúde), Gustavo Estellita (empresário da Saúde) e Luiz Carlos Bezerra (operador de Cabral). Os réus vão recorrer da decisão em instância superior.

A operação também denunciou desvios na Secretaria de Estado de Saúde, com o pagamento de propina para a organização criminosa comandada pelo ex-governador Sérgio Cabral. O esquema também envolveria pregões internacionais, com cobrança de propina de 10% nos contratos, nacionais e internacionais.

Desse percentual, segundo a investigação, 5% caberia a Sérgio Cabral, 2% a Sérgio Côrtes, 1% para o delator Cesar Romero, 1% para o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) e 1% para sustentar o esquema. Ainda segundo a investigação, Iskin pagava uma mesada de R$ 450 mil para a organizacao criminosa do ex-governador.

Compartilhar