Friburgo: Padrasto é condenado a 17 anos por estupro de enteada

03/05/2021 09:50:15
Compartilhar

O juiz do Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Nova Friburgo, Dr. Marcelo Alberto Chaves Villas, condenou o padrasto pelo crime de estupro de vulnerável de sua enteada de 14 anos, sendo que convivia com a mesma desde pequena. A sentença, condenou a 16 anos e seis meses pelo crime de estupro e msais sete meses pelo crime de ameaça. Ainda cabe recurso,

Segundo a sentença, o padrasto se aproveitou da semana em que a mãe teve que se ausentar de casa para acompanhar o seu pai que estava internado em estado grave na cidade de Bom jardim. O padrasto convivia com a enteada desde pequena e agora com 14 anos a estuprou, desvirginando-a conforme demonstrado pela perícia técnica. Não bastasse, a ameaçou de morte caso contasse para alguém.

Ainda de acordo com a Justiça, a história revelou que o padrasto já havia matado o pai biológico da menina no passado numa briga para defender a genitora da mesma e que este teria assumido a paternidade afetiva dentro de casa.

Retornando a casa, a mãe notou que a menina estava triste e chorava muito e atribuiu a situação ao falecimento do avô, mas a vítima estava amedrontada pela violência sofrida e pela continuidade do contato com o réu dentro de casa ainda por algumas semanas dentro de casa até que conseguiu corajosamente contar para a mãe o ocorrido.

O juiz faz ressaltar que, lamentavelmente, tem percebido durante a pandemia da Covid-19 o aumento de casos de violência e de violência sexual dentro de casa, na cidade de Nova Friburgo, e que muitas das vezes estes crimes se sustentam na relação de confiança e intimidade dentro das residências, dificultando as denúncias pelas vítimas, especialmente, quando menores.

Compartilhar