Morre Langoni, friburguense que presidiu o Banco Central

14/06/2021 08:41:25
Compartilhar
O friburguense Carlos Langoni: economista de renome

ELE ERA TIDO COMO O GURU DE PAULO GUEDES

Morreu neste domingo, 13 de junho, aos 76 anos, o ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni. O economista estava internado desde novembro de 2020 no hospital CopaStar, no Rio de Janeiro, para tentar frear complicações da Covid-19.

Nascido em Nova Friburgo, Carlos Langoni é ex-aluno da Fundação Getúlio Vargas, tradicional colégio friburguense que funcionou no Parque da Cascata.

O economista se formou pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e concluiu os estudos na Universidade de Chicago, onde se tornou o primeiro brasileiro a obter um doutorado em 1970.

Em 1979, quando ingressou no Banco Central, ajudou a criar o Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic), que deu origem à taxa básica de juros que conhecemos hoje. Assumiu a presidência do órgão em 1980 e lá permaneceu até 1983.

Migrou então para o setor privado, dando aulas e comandando consultorias econômicas. Atualmente, era presidente da Projeta Langoni Consultoria Econômica e diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getúlio Vargas. Langoni era tido como “guru” do ministro da Economia, Paulo Guedes que, aliás, divulgou nota lamentando a morte do amigo. A FGV também lamentou o falecimento do economista. Langoni morreu de complicações da covid-19.

Compartilhar