Síndrome do super-homem afeta a saúde masculina

28/01/2021 11:07:04
Compartilhar

Pesquisas indicam que o menor cuidado com a saúde influencia na expectativa de vida de homens: em média, eles vivem 7 anos a menos que as mulheres

Quando o assunto é cuidar da saúde, percebe-se que esse não parece ser um hábito prioritário para grande parte dos homens, como demonstram alguns estudos. Uma pesquisa feita pelo Centro de Referência da Saúde do Homem do estado de São Paulo, mostra que 60% dos entrevistados, todos do sexo masculino e acima dos 40 anos, já estão com doenças em estado considerado avançado quando procuram tratamento.

Outro dado alarmante divulgado pelo centro, é que 70% disseram só ir ao consultório se estiverem acompanhados. A prevenção é a melhor forma de evitar doenças e que os homens precisam mudar sua cultura e hábitos.

Sobre as infecções sexualmente transmissíveis, os resultados são ainda mais preocupantes. Um estudo publicado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostra que, embora os participantes afirmem saber o que são as ISTs, 80% acreditam estar fora de risco para a contaminação e somente 11% se consideram em perigo.

Os dados são preocupantes, pois possuir essa síndrome de super-homem só faz acreditar que algumas doenças não os atingem, mas a realidade é totalmente oposta. É preciso desvencilhar essa cultura de que homens são menos vulneráveis a doenças. O cuidado deve ser o mesmo, independente do gênero.

Rotina de cuidados dos homens

Outro cuidado exclusivamente masculino é o exame de toque, que pode, aliado ao exame PSA, diagnosticar o câncer de próstata a partir dos 40 anos. O diagnóstico precoce da doença eleva as chances de cura em 90%. No entanto, ainda existem preconceitos e tabus com relação ao procedimento.

Ainda sobre a falta de cuidados com a saúde por parte dos homens. É recomendável que os homens sigam o exemplo das mulheres e passem a cuidar mais da saúde. Incluir visitas periódicas ao médico, ao menos uma vez por ano, para fazer um check-up e exames de sangue, sorologia, entre outros. Afinal, as doenças descobertas em estágio inicial são mais fáceis de tratar e curar. Homens estão mais sujeitos a doenças cardiovasculares, câncer de pulmão e também podem sofrer de cânceres que atingem órgãos masculinos, como a próstata, testículos e pênis.

https://saude.abril.com.br/

Compartilhar