À MEMÓRIA DE JARDEL MELLO

03/02/2021 19:45:42
Compartilhar
Jardel Mello

Locutor- Dublador- Ator- Diretor

O ator Jardel Mello (Jardel da Silva Mello) nasceu em São Paulo (Capital), no dia 18 de julho de 1937. Ao contar 5 anos de idade, a família mudou-se para Mogi das Cruzes (SP), onde ele passou toda a sua infância, juventude e parte da mocidade.

A sua primeira experiência com o microfone, foi na emissora volante, “Kazis Auto Propaganda”, instalada em “peruas” que circulavam pelas ruas, da mencionada cidade, fazendo propaganda comercial.

Sua trajetória profissional teve início na Rádio Marabá, de Mogi das Cruzes, como locutor e, depois, em Porto Alegre (RGS), nas Rádios Farroupilha e Guaíba, seguindo a sugestão de uma pessoa amiga.

Nesta época, o cantor Cauby Peixoto estava excursionando pelo interior do Rio Grande do Sul, e seu empresário contratou Jardel, para fazer as apresentações dos shows. Por recomendação de Cauby, ele foi atuar na TV Itacolomi, em Belo Horizonte (MG), sendo ao mesmo tempo locutor da Rádio Inconfidência, também, na capital mineira.

Lá, fez amizade com uma cantora famosa, na época, que lhe deu uma carta de apresentação para o presidente da TV Continental, Rubens Berardo, na cidade do Rio de Janeiro. Ali, no ano de 1960, no Tele-Drama, tinha início sua carreira artística.

Tempos depois, se transferiu para a TV Rio, onde participou de quadros de programas famosos como Praça Onze (de Chico Anysio) e Noites Cariocas, contracenado com Herval Rossano, Carmen Verônica, Gracindo Junior e Lady Hilda.

Fazia dublagem de filmes para a televisão, como os das séries: Os Intocáveis, a luta dos homens da lei contra os da Máfia, nas décadas de 1920/30, nos Estados Unidos; Zorro (dando voz ao famoso personagem).

Depois de passar pela TV Tupi, ingressou na TV Record, esteve na TV Bandeirante e, posteriormente, na TV Globo, com uma rápida passagem pelo SBT.

Jardel, Célia Coutinho e o filho Marcos Paulo

Com uma vida profissional muito intensa, atuou como ATOR, nas TELENOVELAS: Algemas de Ouro (1969, seu primeiro trabalho na TV Record), O Bolha (também, em 1969, na TV Bandeirante), Pigmaleão 70 (quando passou a ser contratado pela TV Globo, em 1970), A Próxima Atração (1970), Minha Doce Namorada (1971), Jerônimo- O Herói do Sertão(1972), Primeiro Amor (1972), O Semideus(1973), O Espigão(1974), Dancin’ Days (1978), Água Viva(1980), Estrela de Fogo(1998), Uga Uga(2000), O Clone(2002), Malhação, em que fez o papel de Comandante Rodolfo (2002), Agora É Que São Elas(2003), Kubanacan(2003), Chocolate com Pimenta (2003), Cabocla (2004), Esmeralda (2004, no SBT), Cristal (2006, no SBT), O Profeta (2007, novamente na TV Globo). Ainda como ATOR, nas MINISSÉRIES: Avenida Paulista (1982), Bandidos da Falange (1983), Chapadão do Bugre (1988).

Como CODIRETOR, nas TELENOVELAS: O Progresso (de Hélio Thys-1965), O Rebu (Bráulio Pedroso-1974), Pecado Capital (Janete Clair-1975), O Casarão (¬Lauro César Muniz-1976), Os Gigantes (Lauro César Muniz- 1977), Sinal de Alerta (Dias Gomes-1978), O Pulo do Gato (Lauro César Muniz e Bráulio Pedroso-1978), Cara à Cara (Vicente Sesso- 1979), Plumas e Paetês (Cassiano Gabus Mendes- 1980), Meus Filhos, Minha Vida (Ismael Fernandes-1984), Uma Esperança no Ar (Ismael Fernandes e Hamilton Monteiro- 1985), Novo Amor (Manoel Carlos- 1986); nos PROGRAMAS Chico City (1978), Plantão de Polícia (1979), Chico Anysio Show(1984); nos SERIADOS Bandidos da Falange (Aguinaldo Silva e Doc Camparato (1983), Chapadão do Bugre (Antônio Carlos da Fontoura e Walter Avancini- 1988).

No CINEMA, como ATOR, nos filmes: Os Vencidos (1963), O Gosto do Pecado (1980), Estrela Nua (1984).

Jardel foi casado com Célia Coutinho, atriz de uma carreira artística bem-sucedida, iniciada no teatro de revista. Ingressou na TV Excelsior, em 1963, passando pela TV Tupi/SP, SBT, TV Rio, TV Record, TV Bandeirantes e TV Globo.

Fez parte do elenco dos populares programas Noites Cariocas, Praça da Alegria e Noite de Gala.

Trabalhou em 17 telenovelas, dentre elas: 2-5499 – Ocupado (a primeira telenovela diária), Onde Nasce a Ilusão, Vidas Cruzadas, A Ilha dos Sonhos Perdidos, A Pequena Karen, Pingo de Gente, Selva de Pedra, Divinas e Maravilhosas, Amor sem Deus, Meus Filhos-Minha Vida (a última, em 1984).

Atuou em 11 filmes dentre eles: Dona Violante Miranda, Cada Um Dá O Que Tem, Motel-Refúgio do Amor, Made in Brazil, Brisas do Amor, Ilusão Sangrenta (o último, em 1988).

O casal Célia/Jardel teve um único filho, Marcos Paulo Coutinho de Mello que não seguiu a carreira artística dos pais, optando pela vida militar, sendo oficial da Marinha do Brasil, atualmente, no posto de Capitão de Mar e Guerra.

Jardel nos deixou, no dia 7 de fevereiro de 2008, falecendo vítima de infarto, aos 71 anos incompletos, na cidade de Santos (SP), onde estava residindo, sendo lá sepultado.

“Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós”. (Amado Nervo – poeta mexicano)

(Uma homenagem ao meu cunhado Jardel Mello – irmão do meu marido Carlos Mello – no décimo terceiro ano do seu falecimento.)

Compartilhar