Friburgo: Câmara muda Lei Orgânica e abre caminho para vice-prefeito assumir cargo no Estado

28/04/2022 20:31:36
Compartilhar

VOTAÇÃO NO LEGISLATIVO: 15 VOTOS FAVORÁVEIS; 5 CONTRÁRIOS E UMA AUSÊNCIA

Por 15 votos favoráveis, cinco contrários e uma ausência, a Câmara de Vereadores de Nova Friburgo aprovou – em primeira votação -, nesta quinta-feira, 28/4, projeto de autoria do prefeito Johnny Maycon (Republicanos) que altera a Lei Orgânica Municipal e abre caminho para o vice-prefeito Serginho Doce Mania se afastar temporariamente para assumir cargo no governo estadual. A mudança da Lei Orgânica passará por 2ª votação, antes da análise propriamente dita do pedido de licença temporária do vice.
A discussão da matéria, apesar do placar dilatado, foi acalorada.

Por ordem de votação, foram favoráveis à mudança da lei os vereadores Isaque Demani, Cascão, Carlinhos do Kiko, Marcinho do Alto, Zezinho do Caminhão, Dirceu Tardem, Max Bill, Wallace Piran, Cláudio Leandro, Christiano Huguenin, José Roberto Pacheco Folly, Angelo Gaguinho, José Carlos Schuabb, Professor André e Wellington Moreira.

Por ordem de votação também foram contrários à mudança da lei os vereadores Repórter Maicon Queiroz, Priscilla Pitta, Maiara Felício, Vanderléia Abrace Essa Ideia e Joelson do Pote. O vereador Janio Carvalho justificou a ausência na sessão.

SUPERINTENDÊNCIA DA SUBSECRETARIA DE PROJETOS ESPECIAIS DO GOVERNO ESTADUAL

O vice-prefeito encaminhou pedido à Câmara de Vereadores de Nova Friburgo solicitando o seu afastamento temporário do cargo, a princípio, até 31 de dezembro de 2022, “podendo haver antecipação excepcional”.

Mário Sérgio Abreu, o Serginho Doce Mania (Republicanos), justificou o pedido de afastamento temporário. Segundo ele, o governador Cláudio Castro (PL) fez um convite para que ele assuma imediatamente o cargo de superintendente da Subsecretaria de Projetos Especiais do governo estadual. O cargo é para acompanhar de perto as obras do governo estadual na Região Serrana.

Segundo o pedido do vice-prefeito, a licença será sem ônus para a Prefeitura de Nova Friburgo, já que o seu salário passará a ser pago pelo governo estadual, caso, de fato, a sua nomeação para a superintendência seja confirmada oportunamente pelo Legislativo friburguense.

Compartilhar