Friburgo: Prefeito provoca adversário político e recebe resposta

17/11/2021 13:40:39
Compartilhar
Johnny Maycon (Republicanos) e Wanderson Nogueira (PDT)

JOHNNY MAYCON E WANDERSON NOGUEIRA TROCAM FARPAS NAS REDES SOCIAIS –


Um ano após as eleições municipais de 2020, o prefeito Johnny Maycon (Republicanos) e o segundo colocado nas urnas, Wanderson Nogueira (PDT), voltaram a se enfrentar, trocando farpas através de suas redes sociais. O tema do debate foi a prestação de contas da campanha eleitoral do ano passado.


Através de vídeo em suas páginas nas redes sociais, Johnny Maycon alfinetou o adversário político: “…vencemos as eleições com R$ 14 mil de recursos próprios. O menor investimento entre as 92 campanhas vitoriosas no Estado. Nosso concorrente [Wanderson] gastou R$ 450 mil de fundo eleitoral, fundo partidário, dinheiro público”, atacou.

ASSISTA VÍDEO DO PREFEITO: AQUI


Wanderson Nogueira não deixou por menos e reagiu em postagem em suas redes sociais:


“A gente faz meme, até se diverte com a piada, mas o assunto é sério! Aos que bradam a honestidade como qualidade, pra mim, isso é obrigação. Já que o prefeito resolveu levantar um #tbt das eleições e ao invés de prestar contas do seu desgoverno, preferiu falar de prestação de contas eleitorais com ataques a mim, é preciso esclarecer algumas coisas. Tudo que acontece na eleição, até seu próprio carro, deve estar na prestação de contas. Ou seja, mesmo sendo seu, você tem que doar para a campanha. É a regra, mas acima de tudo é a ética pra que o jogo seja limpo!”, afirmou.


Em seguida, Wanderson fez questionamentos sobre a prestação de contas do prefeito: “como que alguém faz uma carreata e não declara nem 1 litro de gasolina na prestação? Como se deslocava? Pelo que sei maratonista era outro candidato”, questionou.


E prossegui: “Como alguém pode dizer aos quatro cantos que não usou recursos públicos, enquanto os candidatos a vereadores de seu partido receberam? E fizeram campanha casada. Têm candidatos ali que, inclusive, não tiveram 1 voto. Isso mesmo: zero voto! No mínimo, estranho, né?”.


Wanderson foi adiante: “E ainda tem mais: os espaços das propagandas de TV são de recurso público. Usou ou não recurso público? Ele também não declara devidamente os valores que todos tiveram que pagar para subir as imagens para a geradora, cerca de R$ 350,00 por peça publicitária. E nem vou falar dos gastos irrisórios, quase inexistentes, fora do padrão, com contabilidade e jurídico, obrigação de todos os candidatos. Aliás, fizemos no mesmo escritório e os valores são absurdamente diferentes”, afirmou.


Wanderson destacou que “eu não preciso ir para as redes sociais dizer que sou honesto, porque a minha vida e a minha conduta mostram isso. Minha prestação de contas está lá, totalmente correta, declarada, com todos os seus itens de maneira transparente, como tem que ser. Sem maquiagens para passar de “bom moço”. Não contestei as contas dele após as eleições, porque não queria ser taxado de mau perdedor em respeito à vontade das urnas. Mas já que o tema veia à tona, trazido por ele, é preciso colocar alguns pingos nos is. A conclusão dessa história e do porquê estar sendo trazida agora deixo com você para pensar”, concluiu.

Compartilhar